Notícias

Acesse o conteúdo disponível da área de Notícias:

Últimas Notícias

Trabalho dos Cirurgiões-Dentistas nos hospitais é fundamental

No Dia Mundial do Hospital, o CROSP exalta o trabalho dos profissionais que atuam no setor e destaca a atuação dos Cirurgiões-Dentistas

No Dia Mundial do Hospital (2 de julho), o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) exalta os profissionais que atuam no setor e destaca a atuação das equipes de Odontologia que compõem e desempenham papel indispensável junto aos médicos, times de enfermagem e demais colaboradores.

Apesar de estar presente nos hospitais desde a década de 40, a Odontologia Hospitalar vem ganhando visibilidade nos últimos anos, principalmente após a pandemia da Covid-19, quando a presença e atuação dos Cirurgiões-Dentistas nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) recebeu notoriedade.  

A Cirurgiã-Dentista e presidente da Câmara Técnica de Odontologia Hospitalar do CROSP, Dra. Denise Caluta Abranches, teve uma atuação marcante durante a pandemia ao lado dos pacientes e equipes envolvidas. Além disso, contribuiu de forma enfática para dar maior visibilidade à especialidade no âmbito hospitalar.

Segundo Dra. Denise, a presença do Cirurgião-Dentista é de valorosa importância na saúde e recuperação do paciente hospitalizado, atuando nas enfermarias, centro cirúrgicos e sobretudo nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).     

Dra. Denise acrescenta que a Odontologia Hospitalar compõe as equipes multiprofissionais dentro do hospital em todos seus setores, contribuindo e compartilhando o conhecimento com as equipes na promoção da saúde do paciente como um todo. “Da mesma forma, o Cirurgião-Dentista e sua equipe obtêm o conhecimento de outras profissões para assistir os pacientes hospitalizados. Riquíssimo convívio para todos nós”. 

O papel da Odontologia na rotina hospitalar 

   

A Cirurgiã-Dentista e membro da Câmara Técnica de Odontologia Hospitalar, Dra. Juliana Paulino Ramalho, explica que o Cirurgião-Dentista, quando inserido nas equipes multidisciplinares hospitalares, contribui integrado aos diversos profissionais envolvidos nos cuidados com o tratamento de pacientes complexos sistemicamente (cardiopatas, hepatopatas, doentes renais etc), evitando que doenças bucais agravem doenças de base e que doenças de base ocasionem doenças bucais, removendo focos de infecção em cavidade oral e tratando doenças orais oportunistas.

“Nas UTIs, o Cirurgião-Dentista é fundamental para a prevenção de infecções hospitalares potencialmente fatais, como a pneumonia associada à ventilação mecânica, através de protocolos de higiene oral e da promoção de ações em saúde bucal junto à equipe de cuidados”, pontua Dra. Juliana.

A Cirurgiã-Dentista enfatiza também que, na onco-hematologia, muitas vezes porta de entrada do Cirurgião-Dentista para o atendimento em ambiente hospitalar, o profissional faz o manejo dos efeitos colaterais orais dos tratamentos de quimioterapia e radioterapia, principalmente nos casos de neoplasias de cabeça e pescoço, agregando tecnologias como a laserterapia.  

Dra. Juliana esclarece, ainda, que a Odontologia Hospitalar também proporciona bem-estar e conforto nos estágios de terminalidade da vida, através dos cuidados paliativos. “Há também o atendimento a emergências e em modalidade de “home care”. O atendimento pode ser feito à beira leito, sem a necessidade de um consultório odontológico, o que o torna mais acessível e também em centro cirúrgico”.   

Habilidades

A Odontologia Hospitalar é uma especialidade regulamentada desde 2015. Para atuar nessa área, é necessário habilitar-se.

São necessários conhecimentos acerca do fluxo de pacientes, gestão de trabalho hospitalar, protocolos de assistência, registro de informações em prontuário, farmacologia, patologia sistêmica, que compreenda a linguagem médica. Além disso, é necessário que o profissional interaja com os demais membros da equipe interdisciplinar, além de saber solicitar e interpretar exames complementares.

Valorização

A promoção da Odontologia Hospitalar, segundo Dra. Denise, deve ser considerada como política da saúde pública, com leis governamentais que garantam a presença do Cirurgião-Dentista no âmbito hospitalar com os reconhecidos benefícios ao paciente e à gestão hospitalar.

“Atualmente, possuímos a habilitação hospitalar pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) e, com a evolução e pioneirismo nesta área, com vasto conhecimento e atuações oriundas de muitos estudos e experiências, a especialidade da Odontologia Hospitalar vislumbrará o próximo capítulo na construção desta área de atuação”, pondera Dra. Denise.   

Para Dra. Juliana, apesar das dificuldades ainda enfrentadas, como a falta de adesão dos hospitais a procedimentos voltados a Odontologia Hospitalar, o Cirurgião-Dentista vem conquistando seu espaço no ambiente hospitalar.

“Esse avanço gera inúmeros benefícios, como a redução do tempo e gastos de internação, de uso de antibióticos e contribuindo para a saúde geral e qualidade de vida, o que é extremamente gratificante!”.

Achou interessante esta notícia? Compartilhe!
Facebook
WhatsApp
Email
Telegram
CROSP
Enviar para o WhatsApp

Imprensa

Contatos:

Telefones:
(11) 3549-5550 / (11) 99693-6834